Tão tão bom

Por que o Google é tão, tão bom?

O Google tem um preceito importante que é “não faça o mal”, o que pode ser interpretado como: "Não vamos fazer picaretagens". Quando o Google ainda engatinhava no mercado de buscas na internet, cerca de 20 anos atrás, ficou muito bem esclarecido entre os diretores, programadores, engenheiros e até com o departamento financeiro que o mais importante era que a pessoa encontrasse o que ela estivesse procurando. Ponto final!

"Não há absolutamente nenhum motivo para o Google trair sua qualidade, nem mesmo por uma receita maior" - Omid Kordestani- vice-presidente de desenvolvimento de negócios na época.


Num leilão de carros por exemplo, quem der mais dinheiro leva o veículo. Certo? Nas empresas de buscas na internet que eram concorrentes do Google funcionava também dessa forma: se o anunciante pagasse mais (pay-for-placement), apareceria lá em cima nos resultados de busca. Com o Google também é um leilão de palavras-chaves, no entanto é melhor e mais justo, pois ele avalia se o resultado é bom para a pessoa que faz a busca. Percebeu que o foco é outro?

Em resumo, quem entende mais da linguagem do usuário é quem ganha prioridade de posicionamento do anúncio e não quem é mais rico. Mesmo que uma empresa queira desesperadamente aparecer em primeiro lugar nos resultados de busca pagando uma fortuna, ela precisa entender bem do perfil das pessoas que estão procurando no Google. Se não entender, fica de fora.

E é por isso que o Google é tão, tão bom!